terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Sonho "malamanhado"

Balançando pra lá e pra cá
batendo o pé na parede
Sonhei beijando meu amor
E Segurando em sua mão
Acordei beijando o fundo da rede
e dependurado nos cordão

Pense que sonho danado
veja ai a compensação
feliz me vi de braço dado
acordei foi amarrado nos cordão
no sonho de cara com os óio verde
era minha cara no fundo da rede

Pro mal que eu padeço
só há uma explicação
num é doença num é nada
foi que eu levei uma flexada
bem dentro do coração
ai to vivendo é de paixão

Pra fugir desse percalço
saio do pé de parede
vou atrás da morena
e caio logo nos seus braços
se nao vou cair da rede
ai novamente me embaraço

(um versinho bobo que eu fiz)
CONTINUE LENDO ►

Saudade

Saudade,
palavra que escuto desde criança
saudade de amor ausente,
não é saudade é lembrança
saudade só é saudade
quando se morre a esperança

(De Pinto do Monteiro)
CONTINUE LENDO ►