quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Acompanhe a festa de Santa Luzia pela internet

A primeira noite de novena da Festa de Santa Luzia 2013 foi marcada  por uma grande multidão que, muito emocionada e envolvido por um tom de alegria e fé, cantou, rezou e vibrou muito na novena.

A primeira noite foi celebrada pelo Padre Elias e concelebrada pelo Padre Leonardo e pelo Diácono Cláudio.  Nesta quinta feira, a segunda noite, será dedicada à Indústria e Comércio, cerâmicas e Setor Missionário Nossa Senhora de Fátima.

NOVENÁRIO PELA INTERNET
A Paróquia de Santa Luzia colocou no ar um novo site para postar imagens da festa, recados e para retransmitir o sinal da TV Santa Luzia que todas as noites estará fazendo a cobertura das novenas e transmitirá a Missa Solene dia 13. Para acessar o site da Paróquia basta digitar: http://www.festadesantaluziapb.com.br/index.html  
quem quiser acessar diretamente o site da TV Santa Luzia basta digitar http://www.tvsantaluzia.com/2013/11/canal-01.html
CONTINUE LENDO ►

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Pré Novenário da Festa de Santa Luzia vai ser concluído neste fim de semana

Desde o último dia 03 de novembro várias celebrações vem ocorrendo em diferentes comunidades da Paróquia de Santa Luzia como forma de preparação para festa da padroeira que completa 257 anos de tradição em 2013.

Neste fim de semana serão concluídas as celebrações de animação e divulgação da festa. Confira a programação:

28 de Novembro (hoje)
Às 19h00 - Acontece a missa com Santaluzienses que residem em João Pessoa.
Local: Igreja de Santa Júlia no bairro da Torre na Capital

29 de novembro (sexta feira)
às 19h00 - Acontece missa no Bairro Frei Damião

30 de Novembro (sábado)
16h00 - Acontece Missa na Igreja do Rosário
19h00 - Acontece Missa na Igreja de São José Operário

01 de dezembro
Acontece Missa na Comunidade Rural do Saco dos Moisés

ABERTURA DA FESTA DA PADROEIRA

A abertura oficial acontece na próxima quarta feira, dia 04 de dezembro, quando será comemorado o primeiro ano da reforma da Matriz.
CONTINUE LENDO ►

domingo, 17 de novembro de 2013

Paróquia de Santa Luzia vai ganhar mais um padre

Foi anunciada, neste fim de semana, a transferência do Diácono Cláudio Oliveira da Paróquia de Santa Luzia para Taperoá PB. Antes disso, no dia 23 de dezembro, o Diácono será ordenado padre na  sua cidade natal de Santa Terezinha e, depois, seguirá no dia 25 de janeiro para nova paróquia.

No lugar do Diácono virá o Padre Maurício Sandro de Lima Mota que atualmente está na paróquia de Nossa Senhora da Conceição na cidade de Malta PB. Padre Maurício é natural da cidade de Teixeira PB e foi ordenado em 1998. 

Recentemente o Padre Mauricio chegou de Roma onde cursou Mestrado e, atualmente, é aluno do curso de Doutorado em Filosofia pela Universidade Federal da Paraíba. Não está marcada a data da posse do Padre em Santa Luzia, mas deverá ocorrer somente em 2014.

O Padre Maurício assumirá a função de Vigário Paroquial e colaborará com o Padre Elias na celebração dos sacramentos e na condução dos trabalhos pastorais da Paróquia.


Sandro de Lima Mota
CONTINUE LENDO ►

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

O Santaluziense que ocupou a cadeira Nº 01 da Academia Paraibana de Letras

Li um artigo, certa vez, que defendia a tese de que Santa Luzia é terra de grandes intelecetuais e acadêmicos. De fato, Santa Luzia possui homens notáveis que marcaram e/ou marcam a vida cultural e científica da Paraíba através de sua produção intelectual. Estes, infelizmente, são menos lembrados que outros...

Um dos notáveis santaluzienses, que foi listado como um dos grandes paraibanos do Século XX, foi José  Flóscolo da Nóbrega(Foto). Ouvi falar, pela primeira vez deste homem, em Campina Grande na UFCG logo que cheguei por lá. Ao me apresentar como sendo de Santa Luzia, um amigo que era acadêmico de direito haveria me perguntado se já ouvira falar de Flóscolo da Nóbrega e, então, me contou a sua importância. Quem mora na rua apelidada de “Beco da Facada” vai saber agora quem era a pessoa cujo nome foi emprestado àquela rua, assim como ao presído de Campina Grande e ao Fórum Regional no bairro de  Mangabeira em João Pessoa.

José Flóscolo nasceu em Santa Luzia no dia 02 de fevereiro de 1898 tendo como pais Francisco Antônio da Nóbrega e Luzia Cristina de Brito Nóbrega. Começou sua vida escolar em nossa cidade se tansferindo para João Pessoa onde começou a cursar o ensino secundário no Colégio Pio X. Não teve como continuar nesta escola uma vez que cangaceiros atacaram a cada da família saqueando tudo e pondo fogo nela o que gerou dificuldades econômicas.

Em 1914, Flóscolo retomaria os estudos secundário na escola pública – Liceu Paraibano. Entretanto, a grande seca do período fez com que ele novamente interrompesse os estudos para ajudar a família. A luta para concluir a formação secundária foi vencida em 1919 quando concluiu o curso secundário tendo sido aluno de notáveis professores como Pedro Anísio e Irineu Jofly. Segundo Pereira (2000), José Flóscolo  sempre teve boas notas e foi um aluno que se destacava entre os demais.

A vida universitária de José Flóscolo também não foi fácil. Ele tentou ingressar na Curso de Engenharia  na UFRJ, mas não tinha condições de se manter no Rio de Janeiro. Tentou, posteriormente, ingressar na escola de Sargentos do Exército, mas o problema de miopia  o eliminou da seleção. Finalmente, ingressa na faculdade de Direito em Recife se tornando Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais em 1925.

Em 1926 foi nomeado Procurador da Prefeitura  Municipal de João Pessoa – à época tinha o nome de Paraíba. Exerceu funções como: Sub-Prefeio de Santa Rita, Consultor Jurídico do Estado (1933-1934). Ocupou importantes cargos, de carreira, no mundo jurídico a exemplo de Juiz do Tribunal Eleitoral, sendo o primeiro Juiz efetivo daquele tribunal, e Desembargador. Nosso conterrâneo foi um dos fundadores do curso de direito da Universidade Federal da Paraíba. Lecionou na Faculdade de Filosofia as disciplinas de Psicologia, Psicologia da Educação e Lógica. Parte de sua produção intelectual foi dirigida a importantes revistas como: Revista de Crítica judiciária, Revista Forense (ambas do Rio de Janeiro) Revista dos Tribunais (São Paulo), Revista de Estudos Políticos (Belo Horizonte).

Nosso conterrâneo José Flóscolo era o homem das humanidades e escreveu não só sobre Direito, mas Sociologia e Filosofia. Dos seus livros publicados se destacam: Introdução ao Direito (obra ainda hoje muito lida pelos estudantes de direito do Brasil contando com oito edições publicadas sendo a última de 2007), A Sombra do Eu, A Teoria Ecologica do Direito, Introdução à Sociologia, Liberdade como Função Social, Poemas Esquecido, Em torno de Einstein.

Dexei por último a informação mais importante: José Flóscolo da Nóbrega foi o fundador da Cadeira Nº 01 da Academia Paraibana de Letras que tinha como patrono Augusto dos Anjos. Significa o reconhecimento da importância do nosso conterrâneo que, além de sua extensa e diversificada obra ainda conseguiu produzir um ensaio sobre o próprio Augusto dos Anjos e sobre o folclore sertanejo.

O Desembargador Joacil de Brito Pereira deu o seguinte depoimento sobre José Flóscolo:

“Criterioso e honesto, tinha a exata noção das coisas, o discernimento e agudo senso prático para apreciar os dramas e as tragédias da vida. Surpreendia como aquele temperamento reservado e até esquisito, tornava-se repentinamente fluente e brilhante quando proferia os seus votos, bem alicerçados na doutrina e na jurisprudência pátria e estrangeira. Tudo expunha com encadeamento e adequação ao caso concreto com um singular poder de síntese e uma lógica inflexível. Logo se tornou um dos mais conspícuos membros daquele colegiado de notáveis.  Não faltava às sessões. Tornou-se campeão de assiduidade. (PEREIRA, 2000:8)

José Flóscolo da Nóbrega, santaluziense, intelectual, morreu no dia 1º de novembro de 1969 aos 71 anos deixando como viúva dona Alda Toscano da Nóbrega e as filhas Ariane Nóbrega e Vânya Nóbrega.

Textos Consultados:
PEREIRA, Joacil de Brito. José Flóscolo. IN: Paraíba Nomes do Século - Série Histórica, Volume 6. João Pessoa, A União Editora.2000
NÓBREGA, José Flóscolo. Introdução à Sociologia. João Pessoa. Edições Linha D'agua 3ªEdição Revista e Atualizada. 2007

Sites Consultados:
http://www.aplpb.com.br
http://tre-pb.jus.br/memorial/index-menu.php?menu=historia1&conteudo=tribunal#prettyPhoto[inline6]/0/

CONTINUE LENDO ►

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Divulgada programação da festa de Santa Luzia 2013

Foi divulgada a programação oficial da Festa de Santa Luzia 2013. Com o tema Santa Luzia, Luz de Cristo para o mundo a festa deverá provocar a reflexão sobre a convicção e o testemunho dos cristãos neste temp de Trevas dizem os padres. A novidade para este ano é a realização de uma terceira missa com a chegada da procissão na Matriz. Confira a programação:

DIA 04/12- QUARTA-FEIRA
15h - Reza do Terço da Divina Misericórdia
18h30 - Carreata com a imagem saindo do Conjunto
Inácio Bento e passando pelas comunidades
19h - Hasteamento das bandeiras animado pela Filarmônica Jovem de Santa Luzia.
19h - Celebração da dedicação da matriz
20h - Confraternização: Quermesse na praça Silvino Cabral (ao lado da Matriz)
NOITÁRIOS: Motoristas, Motociclistas e Ciclistas

DIA 05/12  QUINTA FEIRA
06h00 Santa Missa na Matriz
15h reza do terço da divina misericórdia
16h – Adoração ao Santíssimo Sacramento
18 h Recitação do Terço
19h 2ª Noite de novena
NOITÁRIOS: Indústria e Comércio, Cerâmicas e Setor Missionário Nossa Senhora de Fátima

DIA 06/12 SEXTA FEIRA
06h00 Santa Missa na Matriz
15h reza do terço da divina misericórdia
16h – Adoração ao Santíssimo Sacramento
18 h Recitação do Terço
19h 3ª Noite de novena
NOITÁRIOS:  Apostolado da Oração, Clube da Melhor Idade, Centro de Convivência  da Pessoa Idosa, Setor Missionário São Sebastião

DIA 07/12 SÁBADO
06h00 Santa Missa na Matriz
15h reza do terço da divina misericórdia
16h – Adoração ao Santíssimo Sacramento
18 h Recitação do Terço
19h 4ª Noite de novena
NOITÁRIOS:  Procuradores, Comunidades Rurais, CEBS, Associações, Sindicatos e Serviços Públicos, Setor Missionário São José Operário

DIA 08/12 DOMINGO
08H00 – Missa Solenidade da Imaculada Conceição
10h00- Celebração do Batismo
15h00 – Terço da Divina Misericórdia
18h00 – Recitação do Terço pelos noitários
19h00 – Missa da Solenidade da Imaculada Conceição
20h00 – Confraternização com quermesse
NOITÁRIOS: Setor de Juventude e a comunidade São Francisco Várzea

DIA 09/12 SEGUNDA FEIRA
06h00 Santa Missa na Matriz
15h reza do terço da divina misericórdia
16h – Adoração ao Santíssimo Sacramento
18 h Recitação do Terço
19h 6ª Noite de novena
NOITÁRIOS: Pastorais, Movimentos, Irmandaddes, Terços dos Homens e das Mulheres, Equipes de nossa Senhora, Setor Missionário Sagrada Família

Dia 10/12 TERÇA FEIRA
06h00 Santa Missa na Matriz
15h reza do terço da divina misericórdia
16h – Adoração ao Santíssimo Sacramento
18 h Recitação do Terço
19h 7ª Noite de novena
NOITÁRIOS: Poderes Executivo, Legislativo, Judiciário e Setor Missionário Nossa Senhora do Rosário

DIA 11/12 QUARTA FEIRA
06h00 Santa Missa na Matriz
15h reza do terço da divina misericórdia
16h – Adoração ao Santíssimo Sacramento
18 h Recitação do Terço
19h 8ª Noite de novena
NOITÁRIOS: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica, Bancos de Empréstimos, INSS, EMATER, Correios, Casa Lotérica e PagueFácil, Setor Missionário Centro

DIA 12/12 QUINTA FEIRA
06h00 Santa Missa na Matriz
15h reza do terço da divina misericórdia
16h – Adoração ao Santíssimo Sacramento
18 h Recitação do Terço
19h 9ª Noite de novena
20H00 – Desfile de Príncipes e Princesas
NOITÁRIOS: Santaluzienses ausentes, visitantes e devotos de Santa Luzia

13/12 DIA DE SANTA LUZIA
05H00 Alvorada
06h00 – Missa pelos fiéis defuntos devotos
10h00 Missa Solene presidida pelo senhor bispo Dom Eraldo Silva
13h30 – Leilão
16h30 – Procissão de Santa Luzia
17h30 Missa pelos devotos, benfeitores e voluntários da festa
19h00 Show de prêmios
20h00 Pavilhão com música ao vivo
CONTINUE LENDO ►

Sua bisavó foi pega a dente de cachorro? Presença indígena na história de Santa Luzia

Rommeryto em aula de Campo na Cacimba da Velha
Não foi de poucas pessoas que ouvi a expressão: “minha bisavó foi pega a dente de cachorro”. Se trata de mais uma das características que fazem parte da memória coletiva ou do imaginário do povo de Santa Luzia. Essa expressão, assim como palavras como Yayu, Tapuio, Quipauá são evidências de um passado marcado pela existência de nações indígenas no território que hoje é o nosso município.

O historiador santaluziense Rommeryto Augusto fez um brilhante estudo que teve como objetivo: “identificar a ocorrência de povoamento indígena na região conhecida como Vale do Sabugy no período do pós-contato (séculos XVII e XVIII), e sua participação na história e na sociedade destas terras cortadas pelos rios Sabugy e Capauá após a interiorização da colonização” (MORAIS, 2011:9). Segundo o autor, a inquietação sobre a existência de povos indígenas em Santa Luzia vem desde a sua infância e perpassou o tempo tornando-se o objeto de seu trabalho de conslusão da graduação em história que foi aprovado com louvor.

Sítio Cacimba da Velha: Pedra na qual se fabricava artefatos
O estudo de Rommeryto recupera toda uma literatura sobre a história indígena na Paraíba na qual se registra que exisitiram, aproximadamente, 16 (dezesseis) grupos indígenas ao longo de todo território paraibano: Ariús, Bultris, Canindés, Cariris, Carnoiós, Coremas, Fagundes, Icós, Janduís, Panatis, Palacus, Pegas, Potiguaras, Tabajaras, Trarairus e Tupis. Os Potiguara e os Tabajara ainda existem e tem o seu território reconhecido no litoral paraibano. Os Potiguara, por exemplo, são um povo que, atualmente, conta como mais de dez mil índios. A nação dos Trarairús ocupou todo o centro-norte do território da Paraíba o que inclui o Vale do Sabugi.

A expansão do colonizador pelo interior do território da atual Paraíba, em busca de lugares viáveis para formação das fazendas de gado, foi um processo violento que acabou eliminando muitos índios em batalhas sangrentas – uma delas conhecida como a Guerra dos Bárbaros. De acordo como Morais (2011) “a malha de rios que forma a bacia hidrográfica do Rio Piranhas-Açu seria o referencial para que os portugueses fizessem contato com os indígenas tapuias, das nações cariri e tarairiú, incluindo-se, portanto, o Sabugy, cortado pelo rio homônimo e o Capauá”. Em 1680, o colonizador instaura sua empreitada de ocupação do território paraibano e, segundo o autor “os momentos de grande matança e carnificina ocorreram em 1687, quando há uma resistência violenta dos tarairiú no sertão da Parahyba”.

A monografia de Rommeryto nos ajuda a compreender que a história das mulheres “pegas a dente de cachorro” ou a “casco de cavalo” refere-se a este processo, não pacífico, de dominação das populações indígenas e sua incorporação à vida do colono. A lenda que explica o nome dado ao Pico do Yayu é apontada pelo pesquisador como uma possibildiade de exemplo dos conflitos entre os indígenas e os caçadores (que representavam a presença do colonizador). Segundo esta lenda, uma índia, teria sido encontrada afastada de sua tribo, provavelmente à procura de água ou perdida e, sendo vista pelos vaqueiros ou caçadores foi perseguida, inclusive com cães, até a sua exaustão física. Quando foi cercada ela teria apontado para o Pico e pronunciado as sílabas YAYU e vindo a morrer. Essa palavra poderia significar Ali Deus, Valha-me Deus ou ali está Deus.

Na família Ferreira Neves teria acontecido uma relação entre o europeu e uma índia que daria origem ao tronco das famílias de Santa Luzia. Pedro Ferreira Neves (Pedro Velho), irmão de Geraldo Ferreira Neves, teve  o segundo casamento com Custódia de Amorim Valcácer, filha de Pedro Valcácer que era Chefe da tribo do Povo Cariri. Esse matrimônio teria acontecido no Vale do Rio Paraíba na aldeia onde Valcácer era chefe. A convite do filho do primeiro casamento Geraldo Ferreira Neves Sobrinho, Pedro Velho e Custódia  teriam  se estabelecido nas terras onde hoje é Santa Luzia.

Teriam acontecido outras uniões decorentes da vinda desta casal à Santa Luzia. Uma irmã de Custódia teria contraído matrimônio com José Tavares da Costa dando origem às famílias de Várzea. Uma neta de Custódia de nome Antonia de Morais Valcácia Filha casou-se com o português Sebastião de Medeiros dando origem à parte da família Medeiros. Depois de fazer o complexo levantamento destas relações, Morais (2011) conclui que:


“Para além desse lado mítico, ambos os autores (Alcindo Leite e Trajano Nóbrega) [...] cuidam em apresentar aquilo que já vimos anteriormente: Pedro Velho e Custódia são o tronco de famílias da região do Sabugy. Portanto, o tronco genealógico dessas famílias passa por uma indígena, que, aos moldes do século XVIII, uniu-se a um colono, tendo se estabelecido na região do Sabugy.” (MORAIS 2011:86)


Além da lenda do Yayu que expressa o imaginário sobre a presença indígena em Santa Luzia, outros vestígios são encontrados e são relatados por Morais(2011). Os sítios Tapuio, Pedra do Sino, Passagem do Meio e Cacimba da Velha apresentam elementos que indicam a existência passada de índios. São inscrições rupestres e pedras nas quais os índios fabricavam artefatos que são chamadas de oficinas. O trabalho de Morais(2011) , portanto, colabora muito para o esclarecimento de uma parte da história de Santa Luzia que ainda não é bem conhecida por muitos dos seus filhos.

Estas muitas mulheres “pegas a dentes de cachorro” ou essas “caboclas bravas” que povoam o imaginário são, na verdade, as habitantes primeiras do nosso território,em geral, membras do povo Trarairú ou Cariri e que foram “incorpordas” à vida do colonizador a partir de um violento processo de colonização.

Recomendo, portanto, a todos a leitura da monografia do Rommeryto que é um importante documento que registra, resume e analisa a história de nossa querida Santa Luzia sob um ponto de vista autêntico e aprofundado. Esclareço que não contei um terço das informações apesentadas neste trabalho, mas tentei mostrar como é rica  a nossa história e como foi importante este trabalho do nosso conterrâneo.

REFERÊNCIA
Morais, Rommeryto Augusto Oliveira de. Os indígenas do Sabugy no período do pós-contato/Rommeryto Augusto Oliveira de Morais. – Guarabira. Universidade Estadual da Paraíba. 2011.



CONTINUE LENDO ►

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Estórias de assombração em Santa Luzia: a Cabra-Cheirosa

Eu, quando menino, fiz xixi inúmeras vezes na rede por medo de ir ao banheiro. Isto acontecia, sobretudo, nas noites em que os adultos se reuniam para contar estórias de assombração ocorridas em Santa Luzia. Uma dessas histórias era da figura da “Cabra-Cheirosa”. Algumas das tais estórias marcaram tanto e povoaram pesadelos e urinadas na rede que o tempo não foi o suficiente para fazê-las cair no esquecimento.

A tal “Cabra-Cheirosa” se apresentava como uma mulher, com pés de cabra, de branco, cheirosa e que andava balançando chocalhos nas noites pelas ruas de Santa Luzia. Ela vagava em busca de homens. Foi assim que ouvi as descrições e que pude, em decorrência delas, criar a imagem desse ser mágico que só quando cresci foi que descobri do que se tratava.

Contou-se lá em casa que um tio-avô meu, nas suas passeadas noturnas, haveria entrado pela madrugada. A rua estava deserta e apenas as folhas secas e o lixo passeavam embalados pelo vendo que assobiava fazendo a cena ficar ainda mais assustadora. De repente, os cachorros começaram a latir. Esse latido se tornava ainda mais alto, mais frequente e mais histérico. O som dos latidos se fez acompanhar do balançar de chocalhos que, de distantes, se fizeram ainda mais próximos. Esse meu tio apressou as passadas chegando a quase correr. Quanto mais rápido andava, mais perto sentia o balançar dos chocalhos como se estivessem perseguindo-o.

Uma vizinha fofoqueira acostumada a fiscalizar quem entrava e saia naquela rua abre a janela, mas a fecha rapidamente. Um cachorro salta no portão e, raivosamente, late como se estivesse tentando intimidar algo que fosse ameaçador. Meu tio-avô andava apressadamente e, de repente, eis que na penumbra gerada por uma árvore de copa frondosa, ele vê aquela mulher de branco. Não identificou quem era, apenas os traços de uma mulher com cheiro muito agradável e forte. Ela não falava nada. A figura manteve-se de pé meio que ensaiando uma saída da penumbra na direção dele.

Se tratando de uma figura muito comentada, ele não quis experimentar qualquer experiência de contato direto com este ser. Aquilo que era uma caminhada apressada se tornou uma verdadeira maratona o que fazia aumentar as latidas dos cachorros. Não se sabe o que faria o ser fabuloso ao contato direto, mas o que todos da casa de minha vó souberam foi que meu tio não é tão corajoso tendo em vista que quase põe a porta abaixo e quase acordava a rua toda com seus gritos de "abre aqui".

Cresci ouvindo estas narrativas que fazem parte do imaginário e folclore santaluziense, mas, graças a elas, sempre tive medo de ficar na rua brincando até tarde e, mesmo grande, sempre tive o hábito de estar em casa cedo assim como era com a geração de meus pais. Aprendi que a minha casa era o lugar seguro e tranquilo livre de seres "assombrosos" como Papa-figo, Velho do Saco, Caipora ou Maria Florzinhaetc. Sobre o tal ser aqui descrito, ele realmente existiu e não era nada sobrenatural. Saberá o leitor(a) explicar o que era, afinal, a “Cabra-Cheirosa”? 
CONTINUE LENDO ►

domingo, 10 de novembro de 2013

A alienação, a superficialidade e a grande aula de política

Há um filme de Woody Allen (não lembro o nome) em que em uma das cenas há uma fila na porta do cinema e um homem, querendo impressionar a sua companhia, “interpreta” a intenção do autor do filme.

Woody Allen, ouvindo tudo, já irritado, sai da fila, vai atrás de um biombo na mesma calçada em que estavam (quem conhece o cineasta Woody Allen sabe como os seus filmes são inteligentes, instigantes e provocativos), traz pelo braço o diretor do filme e pede para ELE dizer do que se tratava o filme. Tudo que o conquistador dissera era uma asneira só.

A cena termina com Woody Allen dizendo algo tipo: “que pena que a vida não é assim”, ou seja, que pena que bobagens e dissimulações, podem passar por verdades e até por coisas sábias sem que possamos fazer nada.
Narrei essa cena em um texto que escrevi e postei em fevereiro de 2012.

Realmente, a vida não é como gostaríamos que fosse. Já lamentei muitas vezes por isso. Acho que hoje estou mais inclinado a dizer que ainda bem que não é assim.
Deixe como está. A vida é a imperfeição do perfeito.

Quantas vezes fiquei chateado, até furioso, por não poder mostrar o óbvio e isso já seria suficiente para mostrar como a vida é imperfeita; o óbvio é óbvio, não deveríamos precisar mostra-lo. Mas não é assim. Muitas vezes mesmo o óbvio ululante de Nelson Rodrigues precisa ser mostrado.

O grande problema é que não querem ver. Sim, acredite; não querem ver.
Até bem pouco tempo atrás a minha inocência me fazia acreditar que as pessoas não sabiam. E a ignorância será quase sempre perdoada.
Eça de Queiroz diria que “ou é má fé cínica ou obtusidade córnea”. Já me convenci de que em muitos casos não é obtusidade córnea.

Eu, que hoje me inclino mais a pensar que ainda bem que a vida não é como eu gostaria que fosse, permito-me uma recaída. Gostaria que fosse sim, pelo menos em alguns momentos, para que o óbvio pudesse ser mostrado. Mas aí eu teria que ter o talento e o conhecimento de um Woody Allen. Ou de George Gallaway.

Veja a oportunidade que a vida deu a Gallaway e o que ele fez com o aluno de Oxford. Esse aluno é de Oxford, mas eles estão espalhados por aí.
 
 
TEXTO: Ronaldo Souza
VEJA O VÍDEO http://youtu.be/--QjwodEcOk
CONTINUE LENDO ►

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Monólogo do Açude Novo

Construção do Açude de Santa Luzia PB
 Mário Ferreira, figura muito importante que guarda a memória dos grandes momentos de Santa Luzia, compartilhou um texto que ele encontrou com o título de Monólogo do Açude Novo de autor não identificado, mas que foi escrito aos 50 anos de construção do manancial. Trata-se de um texto antigo, mas importante e que agora faremos conhecer :

"Sou o velho Açude Novo. Filho do DNOCS (Departamento Nacional de Obras Contras as Secas), que é filho de José Américo de Almeida. Filho de planejamento; porque filho mesmo eu sou do sertanejo e da natureza que, num jogo de amor estranho, me deram origem.

Aqui, a natureza arrependida de castigar o sertanejo, confabulou com ele num idílio comovente que chorava. E nas lágrimas, vertidas na forma de suor humano, surgiram as primeiras células do conteúdo líquido que é o meu ser. E essas lágrimas tépidas, caídas à custa de trabalho pesado, tocaram o céu que se enterneceu e lavou as encostas da Borborema. E as correntes cristalinas desceram das entranhas da serra, turvando-se em caminhos vários que culminaram com o Quipauá. E as águas, que daqui rolavam para outros rios, encontraram barreira - o meu peito aberto para um abraço duradouro.
 Cresci. Avolumei. Sangrei. Sou a redenção.

Carrego comigo a responsabilidade de servir os filhos de meu pai. Há 50 anos assim vivo. Os meus irmãos não conhecem o drama dos que são servidos pelo carro pipa.

Não sei por que estão me desprezando...Querem, por acaso, entregar-me a um abrigo de velhos? Querem dar-me a sorte do Açude Padre Ibiapina? Terno e velho amigo! Sereno, passivo, reduzido a um receptáculo de dejetos. Como te recompensaram tantos benefícios prestados!

 Barreiras de areia, que a enchente arrasta na sua fúria impetuosa, aterram-me o bojo, diminuem minha capacidade. Camadas de excrementos turvam-me o brilho do olhar e a lua já não reflete em minha face para encanto dos namorados. Oh! Crueldade!

O murmurar das minhas ondas de encontro ao paredão, num contraste sonoro lânguido e belicoso, tem o lamento da solidão e o grito lancinante da revolta.

Hoje, no meu aniversário, faço-lhes o meu apelo, ó irmãos! Não cantem 'parabéns a você'. Não louvem minhas glórias passadas.  Ajudem-me! Escavem-me o bojo, consertem-me o paredão, para que esse velho possa dar o orgulho de, na paisagem da 'Ilha do Sertão', realçar a beleza do Açude Novo."


Construção do Açude


Construção do Açude


Açudes Padre Ibiapina e José Américo cheios


Texto e fotos do acervo de seu Mário Ferreira de Medeiros
CONTINUE LENDO ►

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

I Jornada Literária de Santa Luzia acontece neste final de semana

A I Jornada Literária de Santa Luzia acontecerá neste final de semana na cidade de Santa Luzia, seguindo uma tendência que já vem ocorrendo todo o mundo e no Brasil, de promover o encontro entre a literatura, autores e leitores, em discussões e debates.
 
A jornada terá será aberta nesta sexta-feira, na Escola Padre Jerônimo Lauwen, com o professor e escritor Egberto Vital de Campina Grande, que fará a conferência de abertura.

No sábado pela manhã acontecerão as oficinas, com os professores Altemar Almeira, Ronaldo Magella, Joanna Camila e Bartolomeu Pereira.
As inscrições são gratuitas, todos receberão certificados, com vagas limitadas.
PROGRAMAÇÃO
08 de novembro de 2013
19h: Credenciamento (entrega de materiais no auditório da Escola Estadual Padre Jerônimo Lauwen)
19h:20min:
Abertura Conferência: Literatura erótica de escrita feminina: discurso, lutas e libertação – professor Egberto Vital
09 de novembro de 2013
08h: Café com música
08h:30min:
Oficinas A linguagem literária das histórias em quadrinhos – Altemar Almeida
Crônica: a ternura pela escrita – professor Ronaldo Magella
Literatura contemporânea: o gênero fantástico – professora Joana Camila
Poesia e a construção de um sentido para o mundo: como construir um mundo mais poético – professor Bartolomeu Pereira

11h:30: Encerramento
Eventos paralelos: recitais de poesia, exposição “Sobre Importâncias” (trabalho realizado pelos alunos do 3º A sob a orientação da professora Jahynne Dantas) e venda de livros.


CONTINUE LENDO ►

Alunos do Curso de Técnico de Mineração realizam dia de campo em Várzea PB

Os alunos do 1º ano do curso de Técnico em Mineração da Escola Padre Jerônimo Lauwen, em Santa Luzia, participaram de um dia de campo na Mina do Porção que fica localizada na cidade de Várzea PB. Sob a orientação dos professores Antônio Sobrinho, Dayse Oliveira, Jalles Santos e José Aderivaldo, os alunos percorreram os garimpos de Várzea para observar a realidade da atividade de mineração na região.

Recepcionados pelo gerente da Cooperativa de Várzea e Vereador Carlos Henrique,os alunos conheceram a história da mineração no município e observaram o cotidiano dos trabalhadores que extraem quartzito que é vendido no pólo industrial da própria cidade. Os alunos observaram, na prática, aquilo que aprenderam nas disciplinas de geologia, segurança no trabalho, mineralogia e serviços e equipamentos da mineração.

Depois de observarem o processo de extração mineral, os alunos foram para o pólo industrial da cidade no qual acontece a fabricação blocos de revestimento, argamassa e blocos de concreto. Os alunos visitaram empresas que fabricam argamassa e tijolo ecológico, além de pastilhas de quartzito para revestimento.

Após a atividade os alunos deverão elaborar relatórios que serão discutidos com os professores para consolidar a formação do aluno.

Para o professor José Aderivaldo, que em 2013 assumiu a coordenação do curso, a atividade é uma tentativa de aproximar ainda mais os alunos das questões e desafios da própria região onde está inserido o aluno. Segundo o professor, estas atividades tornam o curso mais interessante e mais comprometido com o desenvolvimento do setor mineral local.



















CONTINUE LENDO ►

domingo, 3 de novembro de 2013

Tradicional Missa com os Santaluzienses em João Pessoa será dia 28

A tradicional missa dos santaluzienses que residem em João Pessoa já tem data marcada. Durante a missa de finados, celebrada neste sábado, foi anunciado que a celebração será realizada no dia 28 de novembro (uma quinta feira) às 19h00 na Igreja de Santa Júlia que fica localizada na Av Julia Freire no bairro Torre em João Pessoa , PB. 
 
O celebrante desta missa será o administrador da Paróquia de Santa Luzia Padre Elias Ramalho que, pela primeira vez, presidirá esta celebração.
 
A festa, na cidade de Santa Luzia-PB, já começou a ser organizada tendo acontecido uma reunião preparatória na qual foram apresentadas algumas propostas de grupos de trabalho e de mudança nas solenidades do dia 13 de dezembro. Este ano é aguardada uma multidão ainda maior tendo em vista que o dia da Padroeira será numa sexta feira.
 
CONTINUE LENDO ►

Filiados do PT de Santa Luzia vão às urnas próximo domingo

Acontecem, próximo domingo (10/11), as eleições diretas para escolha dos novos presidentes dos diretórios nacional, estadual e municipal do Partido dos Trabalhadores. Em Santa Luzia as eleições acontecem a partir das 8h00 na Câmara de Vereadores e se encerrarão às 17h00. 

As eleições municipais contarão com  um candidato a presidente que é Josué Júnior e uma chapa composta por dezesseis filiados que comporão, com Josué, a instância de decisões do partido. 

Já no âmbito estadual três candidatos disputam a presidência: Charlinton Machado, Lenildo Morais e Luiz Couto. Para presidência nacional seis candidatos disputam as eleições.

A IMPORTÂNCIA DA ELEIÇÃO
O próximo presidente do PT, em Santa Luzia, terá o desafio de conduzir administrativamente e politicamente o partido em duas eleições: a do próximo ano que significa a luta pela reeleição da presidente Dilma na qual também existem expectativas sobre o comportamento do PT na Paraíba; a outra eleição que o próximo presidente enfrentará será a eleição municipal de  2016 quando o partido tentará reconquistar seu espaço na Câmara e ampliá-lo.

O diretório deverá ser mais atuante  e próximo do presidente para fortalecer o partido através da reorganização das secretarias setoriais como: Juventude, Mulher, Igualdade Racial, Economia Solidária entre outras.
CONTINUE LENDO ►

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Sobre a polêmica em relação a construção de uma Igreja na área da Capela de São Sebastião

Inauguração da Capela em 1936
A Capela de São Sebastião foi construída na gestão do Padre José Borges sendo o início da obra no ano de 1936 com a inauguração no ano seguinte tendo a presença de Dom João da Matta bispo da Diocese de Cajazeiras. Ao que consta, a obra teve como encarregado o pedreiro Severino Cunha com a ajuda de pessoas da comunidade e devotos de São Sebastião. Os postes de iluminação foram doados assim como muitas outras coisas. A imagem de S. Sebastião foi doada pelo Major Euclides Brito da Nóbrega (custou seiscentos mil reais). A de Santa Joana Darc, por Naninha Medeiros, a de Santa Terezinha por Dondonzinha Nóbrega, e a de N. Senhora do Montserrat, por João Medeiros.

Bases para nova Igreja
Em resumo, podemos dizer que a capela é um imóvel que merece ser preservado tendo em vista o valor que tem para memória e a história do município bem como o valor que tem para integração daquela comunidade. É em torno dessa obra a mais nova polêmica da cidade.

De um lado o Conselho da Comunidade de São Sebastião (órgão colegiado da Paróquia) que decidiu que deveria ser mantida a proposta original de construir uma nova Igreja tornando o atual prédio da capela a torre central. Aqueles que moram no bairro, frequentam as missas mensais na capela e organizam a Festa de São Sebastião consideraram mais importante construir uma Igreja no local da capela não tendo considerado o efeito que isso causaria sobre a preservação da memória local. Essa decisão, a propósito, contrariou  a proposta do Padre Elias que queria recuperar a capela e construir a nova Igreja em outro terreno no mesmo bairro.

De outro lado está uma parcela da população de Santa Luzia que não mora no bairro, não organiza a festa e não frequenta regularmente a capela em suas atividades religiosas. Esta parcela considera que se trata de um patrimônio histórico de Santa Luzia, portanto, de cada cidadão ainda que não more no bairro devendo ser preservado. 

Neste confronto de visões, duas questões precisam ser respondidas: o benefício gerado pela construção de uma Igreja no local decidido pela comunidade que a utilizará compensará a descaracterização da proposta original da capela construída há 77 anos? Se a comunidade parar a obra e manter a estrutura original vai ser feita a recuperação e urbanização da capela de São Sebastião? Deixar um monumento histórico cair por falta de manutenção ou mesmo abandoná-lo sem atribuir-lhe o devido valor também é algo questionável tanto quanto mudar a sua estrutura e modernizá-lo.

O projeto de Lei para o tombamento, de autoria do ex-vereador Joselito Eulâmpio, não foi executado e não há nada que trave a obra salvo se o Ministério Público se pronunciar, mas, para isto, precisa ser provocado. A propósito, salvo Joselito e Terezinha Alves, os vereadores, ao que me consta, não se preocuparam com a regulamentação deste tema e, por causa desta omissão, muitos prédios históricos deixaram de existir na sua forma original por causa de reformas feitas por seus donos. Omissão que também foi feita pela sociedade civil, registre-se. Por que só a capela é alvo de polêmica?

Recentemente, a Secretária de Cultura de Santa Luzia, Terezinha Alves Nóbrega, afirmou que está começando a planejar políticas públicas voltadas ao tombamento e preservação do patrimônio histórico, artístico e cultural de Santa Luzia. Mas, infelizmente, a pasta não dispõe de orçamento que permita realizar ações rapidamente. A Secretaria está tentando captar recursos através de editais cujos resultados ainda não saíram.

Antes de aderir a um ou outro grupo nesta polêmica é bom pensar se é só a intervenção na capela de São Sebastião que precisa ser discutida. O Poder Legislativo tem muito a contribuir nessa causa e pode colaborar para que a Secretária de Cultura supere as dificuldades que tem passado para executar o seu trabalho. A sociedade civil também tem responsabilidade nesta causa devendo se integrar ao Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental  que imagino que já esteja criado.
CONTINUE LENDO ►

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

SERESTEIRO URANO SHOW SERÁ ATRAÇÃO EM EVENTO QUE FARÁ UM ATRIBUTO A ALTEMAR DUTRA

O seresteiro Urano Show, de Santa Luzia, será a atração principal em festa na cidade de Lagoa Seca – PB no próximo dia 09 de novembro no evento que fará uma homenagem a Altemar Dutra cujo falecimento completa 30 anos em 2013.

O evento que tem como título "30 anos sem Altemar" dá sequência ao projeto da Cabana do Fernando que acontece há 29 anos e esse fará homenagem ao Grande Seresteiro das Américas. O evento contará ainda com a participação da dupla Inaldo e Paulo Rubens de Campina Grande.

O repertório da noite do evento é todo voltado para os grandes sucessos do saudoso Altemar Dutra e foi feito pelo próprio Fernando Da Cabana (idealizador e produtor do evento que conhece tudo sobre a vida, a obra e a morte de Altemar Dutra)

Para comemorar a data, o seresteiro Urano Show preparou um CD com 12 Faixas trazendo o título: TRIBUTO A ALTEMAR DUTRA. "O CD foi feito especialmente para a noite da festa em Lagoa Seca com os maiores sucessos da carreira de Altemar Dutra de quem sou fã" disse o cantor Urano Show.

O CD Tributo a Altemar Dutra é o 18º da carreira de Urano Show e, que será lançando na festa “30 anos sem Altemar”.
CONTINUE LENDO ►

domingo, 20 de outubro de 2013

Projeto aborda preservação do patrimônio público em Santa Luzia

Visita à escola Coelho Lisboa
Na última quinta feira, 17/10, alunos do 1º ano do curso de mieneração acompanhados pelo professor Erinaldo Alves visitaram escolas públicas da cidade de Santa Luzia levando a mensagem do Projeto "Patrimônio Público: do material ao intangível".

O objetivo do projeto, que é coordenado pelo professor de Filosofia Erinaldo Alves,  foi incentivar os alunos da rede públca, em todas as modalidades, a desenvolver a cultura da preservação e conservação do patrimônio público tangível e intangível. 
Alunos do Projeto

A visita às escolas públicas de Santa Luzia sensibilizando os alunos quanto ao cuidado com o patrimônio foi uma das atividades programadas que culminou o projeto que realizou, em 2013, produção de textos sobre o tema, confecção de cartazes e materiais educativos para distribuição entre os estudantes santaluzienses.
CONTINUE LENDO ►

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Vereadores realizam audiência pública para tratar do problema do abastecimento de água


A Câmara de Vereadores de Santa Luzia e comissão de moradores que fiscaliza o abastecimento de água pela CAGEPA em Santa Luzia, convidam todos os cidadãos a se fazerem presentes na Câmara de Vereadores nesta quinta-feira, dia 10 de setembro, de 2013, às 19:00 hrs.

Na ocasião estará sendo realizada uma audiência pública, com a presença do superintendente da CAGEPA (Patos) Maciel Damasceno, os vereadores, entidades da sociedade civil a exemplo da Comissão de Fiscalização do Abastecimento de Água de Santa Luzia.

Na pauta: Melhorias no abastecimento de água com qualidade em nossas residências; Buscar soluções contra os abusos praticados pela CAGEPA no descumprimento de suas obrigações com seus consumidores; Cobrar mais investimentos e ampliação em nossas redes de distribuição de água.
CONTINUE LENDO ►

Aluno da Padre Jerônimo Lauwen representará Paraíba na etapa nacional dos Jogos Escolares da Juventude

O aluno Jorge Luis, do 1º ano C da escola Padre Jerônimo Lauwen, em Santa Luzia, disputou nos dias 06 e 07 de outubro a etapa estadual dos jogos escolares em João Pessoa. Jorge competiu na modalidade individual do salto em distância e conquistou a vaga nacional depois de ficar em segundo lugar com um salto de 6,32 metros apenas há nove centímetros do primeiro lugar.

Jorge Luis garantiu sua participação, juntamente com o primeiro lugar, na modalidade de atletismo 15-17 anos dos Jogos Escolares da Juventude, etapa nacional, que ocorrerão na cidade de Belém no Estado do Pará no período de 07 a 17 de novembro. 

O professor Eugênio Pacelli (Pachelo) que acompanha o aluno afirmou que esta foi a melhor campanha da Escola Padre Jerônimo Lauwen nos jogos escolares sendo destaque tanto nos esportes coletivos (handebol) como nas modalidades individuais como a corrida 200m e o salto em distância. "Nós temos muitos atletas bons, mas é preciso dar condições para que eles participem das competições com os equipamentos adequados e de igual para igual nesse critério com outras escolas". disse o professor.

O professor Pacelli, juntamente com a direção e a família, estão preparando a documentação para encaminhar à Secretaria de Juventude, Esporte e Lazer que providenciará as passagens. Os professores da escola estão fazendo uma campanha para arrecadar recursos para colaborar na aquisição dos acessórios novos que o aluno precisa para participar da prova. 

COMO SERÃO AS PROVAS DA ETAPA NACIONAL

Na etapa de 15 a 17 anos, são disputadas 28 provas pelos alunos-atletas, sendo 14 masculinas e 14 femininas. Cada estado pode inscrever um técnico e 13 alunos-atletas em cada gênero, indicando até dois alunos-atletas por prova e uma equipe no revezamento. O limite de participação por aluno-atleta é de duas provas individuais e o revezamento, que pode ter equipes formadas por alunos-atletas de escolas diferentes.







CONTINUE LENDO ►

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Missa comemora 25 anos de ordenação do Padre Silvio

Na noite do último domingo 06 de outubro foi celebrada, na cidade de Taperoá PB, a missa do Jubileu de Ouro do Padre Silvio Nunes que trabalhou em Santa Luzia. 

A missa foi presidida pelo Bispo Dom Eraldo Silva e concelebrada pelos padres João Saturnino, João Melquíades (ambos da Paróquia de Taperoá) e pelo Padre Elias Ramalho (da Paróquia de Santa Luzia). Nos ritos finais da missa o Padre Elias Ramalho, representando o clero da diocese, leu a carta enviada de Roma pelo Papa Francisco na qual sua Santidade parabeniza o padre e concede a ele sua bênção apostólica.

Ao lado de sua mãe, irmãos e sobrinhos, o Padre Silvio agradeceu, emocionado, aos familiares, amigos, paroquianos toda a ajuda em sua trajetória de Padre. Depois da missa houve confraternização no salão paroquial.





Fotos diocese de patos

A Solene Eucaristia foi presidida pelo Excelentíssimo e Reverendíssimo Dom Eraldo Bispo da Silva e concelebrada pelos Reverendíssimos Pe. João Saturnino, Pe. João Melquíades , Pe. Elias Ramalho e pelo jubilando Pe Silvio Nunes.
Com uma liturgia que primou como de costume pela simplicidade foi comemorado com grande alegria por toda a comunidade o Jubileu de Prata do Reverendíssimo Pe Silvio Nunes, ordenado sacerdote para a Igreja de Jesus Cristo há exatos 25 anos.
- See more at: http://www.diocesedepatospb.org.br/taperoa-festeja-jubileu-de-prata-do-pe-silvio-nunes/#sthash.jqCmvw6t.dpuf
O 27º Domingo do Tempo Comum neste dia (06), foi Celebrado com duas grandes motivações para a Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, em Taperoá que festejou os 25 anos de Sacerdócio do Reverendíssimo Pe Silvio Nunes Faustino Filho e 127 anos de emancipação política.
A Solene Eucaristia foi presidida pelo Excelentíssimo e Reverendíssimo Dom Eraldo Bispo da Silva e concelebrada pelos Reverendíssimos Pe. João Saturnino, Pe. João Melquíades , Pe. Elias Ramalho e pelo jubilando Pe Silvio Nunes.
Com uma liturgia que primou como de costume pela simplicidade foi comemorado com grande alegria por toda a comunidade o Jubileu de Prata do Reverendíssimo Pe Silvio Nunes, ordenado sacerdote para a Igreja de Jesus Cristo há exatos 25 anos.
Em sua homilia, o Excelentíssimo e Reverendíssimo Dom Eraldo Bispo da Silva salientou a singularidade e beleza dos textos litúrgicos chamando a atenção a necessidade de reavivar o dom de Deus em todos nós.
Ao falar sobre a Fé o bispo diocesano ressaltou que mesmo pequena e frágil ela é capaz de nos sacudir, nos desinstalar, transformar- nos e inquietar-nos do contrário não está sendo vivenciada com afinco.
Dirigindo-se ao homenageado pela passagem dos 25 anos de vida sacerdotal exortou: “Desejo que o Pe. Silvio revigore cada vez mais o dom de sua entrega através do sacerdócio e que venham outros 25 anos dedicados a Deus e a seu povo”.
Ao final da Celebração em nome de todo o Clero Diocesano o Reverendíssimo Pe Elias Ramalho leu mensagem enviada por ocasião do Jubileu de Prata ao Pe Silvio Nunes que Sua Santidade Papa Francisco concede Bênção Apostólica entregando ao homenageado que apresentou ao povo sendo ovacionado.
O grupo de Liturgia entoou a Canção Sacerdotal e fez homenagem em nome de toda a comunidade pela dádiva dos 25 anos de vida sacerdotal do Pe Silvio Nunes.
Emocionado e cheio de gratidão o Reverendíssimo Pe. Silvio Nunes agradeceu a todos os paroquianos, amigos e familiares presentes  por tomarem parte em tão significativo momento de sua vida e missão assumida há 25 anos com o propósito de anunciar a boa nova do Cristo através do sacramento da Ordem no grau Presbiteral.
Após a Solene Eucaristia o Reverendíssimo Pe. Silvio Nunes recebeu mais homenagens e foi servido um jantar de confraternização no salão paroquial num  clima de alegria e júbilo.
- See more at: http://www.diocesedepatospb.org.br/taperoa-festeja-jubileu-de-prata-do-pe-silvio-nunes/#sthash.jqCmvw6t.dpuf
O 27º Domingo do Tempo Comum neste dia (06), foi Celebrado com duas grandes motivações para a Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, em Taperoá que festejou os 25 anos de Sacerdócio do Reverendíssimo Pe Silvio Nunes Faustino Filho e 127 anos de emancipação política.
A Solene Eucaristia foi presidida pelo Excelentíssimo e Reverendíssimo Dom Eraldo Bispo da Silva e concelebrada pelos Reverendíssimos Pe. João Saturnino, Pe. João Melquíades , Pe. Elias Ramalho e pelo jubilando Pe Silvio Nunes.
Com uma liturgia que primou como de costume pela simplicidade foi comemorado com grande alegria por toda a comunidade o Jubileu de Prata do Reverendíssimo Pe Silvio Nunes, ordenado sacerdote para a Igreja de Jesus Cristo há exatos 25 anos.
Em sua homilia, o Excelentíssimo e Reverendíssimo Dom Eraldo Bispo da Silva salientou a singularidade e beleza dos textos litúrgicos chamando a atenção a necessidade de reavivar o dom de Deus em todos nós.
Ao falar sobre a Fé o bispo diocesano ressaltou que mesmo pequena e frágil ela é capaz de nos sacudir, nos desinstalar, transformar- nos e inquietar-nos do contrário não está sendo vivenciada com afinco.
Dirigindo-se ao homenageado pela passagem dos 25 anos de vida sacerdotal exortou: “Desejo que o Pe. Silvio revigore cada vez mais o dom de sua entrega através do sacerdócio e que venham outros 25 anos dedicados a Deus e a seu povo”.
Ao final da Celebração em nome de todo o Clero Diocesano o Reverendíssimo Pe Elias Ramalho leu mensagem enviada por ocasião do Jubileu de Prata ao Pe Silvio Nunes que Sua Santidade Papa Francisco concede Bênção Apostólica entregando ao homenageado que apresentou ao povo sendo ovacionado.
O grupo de Liturgia entoou a Canção Sacerdotal e fez homenagem em nome de toda a comunidade pela dádiva dos 25 anos de vida sacerdotal do Pe Silvio Nunes.
Emocionado e cheio de gratidão o Reverendíssimo Pe. Silvio Nunes agradeceu a todos os paroquianos, amigos e familiares presentes  por tomarem parte em tão significativo momento de sua vida e missão assumida há 25 anos com o propósito de anunciar a boa nova do Cristo através do sacramento da Ordem no grau Presbiteral.
Após a Solene Eucaristia o Reverendíssimo Pe. Silvio Nunes recebeu mais homenagens e foi servido um jantar de confraternização no salão paroquial num  clima de alegria e júbilo.
- See more at: http://www.diocesedepatospb.org.br/taperoa-festeja-jubileu-de-prata-do-pe-silvio-nunes/#sthash.jqCmvw6t.dpuf
O 27º Domingo do Tempo Comum neste dia (06), foi Celebrado com duas grandes motivações para a Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, em Taperoá que festejou os 25 anos de Sacerdócio do Reverendíssimo Pe Silvio Nunes Faustino Filho e 127 anos de emancipação política.
A Solene Eucaristia foi presidida pelo Excelentíssimo e Reverendíssimo Dom Eraldo Bispo da Silva e concelebrada pelos Reverendíssimos Pe. João Saturnino, Pe. João Melquíades , Pe. Elias Ramalho e pelo jubilando Pe Silvio Nunes.
Com uma liturgia que primou como de costume pela simplicidade foi comemorado com grande alegria por toda a comunidade o Jubileu de Prata do Reverendíssimo Pe Silvio Nunes, ordenado sacerdote para a Igreja de Jesus Cristo há exatos 25 anos.
Em sua homilia, o Excelentíssimo e Reverendíssimo Dom Eraldo Bispo da Silva salientou a singularidade e beleza dos textos litúrgicos chamando a atenção a necessidade de reavivar o dom de Deus em todos nós.
Ao falar sobre a Fé o bispo diocesano ressaltou que mesmo pequena e frágil ela é capaz de nos sacudir, nos desinstalar, transformar- nos e inquietar-nos do contrário não está sendo vivenciada com afinco.
Dirigindo-se ao homenageado pela passagem dos 25 anos de vida sacerdotal exortou: “Desejo que o Pe. Silvio revigore cada vez mais o dom de sua entrega através do sacerdócio e que venham outros 25 anos dedicados a Deus e a seu povo”.
Ao final da Celebração em nome de todo o Clero Diocesano o Reverendíssimo Pe Elias Ramalho leu mensagem enviada por ocasião do Jubileu de Prata ao Pe Silvio Nunes que Sua Santidade Papa Francisco concede Bênção Apostólica entregando ao homenageado que apresentou ao povo sendo ovacionado.
O grupo de Liturgia entoou a Canção Sacerdotal e fez homenagem em nome de toda a comunidade pela dádiva dos 25 anos de vida sacerdotal do Pe Silvio Nunes.
Emocionado e cheio de gratidão o Reverendíssimo Pe. Silvio Nunes agradeceu a todos os paroquianos, amigos e familiares presentes  por tomarem parte em tão significativo momento de sua vida e missão assumida há 25 anos com o propósito de anunciar a boa nova do Cristo através do sacramento da Ordem no grau Presbiteral.
Após a Solene Eucaristia o Reverendíssimo Pe. Silvio Nunes recebeu mais homenagens e foi servido um jantar de confraternização no salão paroquial num  clima de alegria e júbilo.
- See more at: http://www.diocesedepatospb.org.br/taperoa-festeja-jubileu-de-prata-do-pe-silvio-nunes/#sthash.jqCmvw6t.dpuf
CONTINUE LENDO ►