sexta-feira, 12 de abril de 2013

O fim do "matador" de esperança



Já que não posso escrever outras coisas escrevi este versinho besta baseado em fatos reais. Não espero que gostem, mas torço para que o leiam:


O fim do “matador” de esperança

Mata-me a esperança
Tu, profeta da tragédia
Vens com sede de vingança
Crava-me a lâmina de aço
Estraçalha-me o coração
Já que és lobo negro do dia
Coloca-te de novo em ação
Retoma logo tua andança
Devastador de toda esperança

Da esperança quiseste a morte
Era a tua ação derradeira
Querias findar o negócio
Porém não tivestes a sorte
A pontada não foi certeira
Erraste no teu julgamento
Julgaste que era o fim
Justamente daquele sentimento
Que não morre tão fácil assim

Eras o temível algoz
Matador muito respeitado
O que ninguém entendia
Era como terias errado?
Perdeu a força o atroz
O povo já não o temia
Ficaste contrariado
Morreste naquele dia
E quem teria matado?

Fizeste uma escolha errada
Não fostes bem preparado
Quiseste matar a esperança
O dever não foi terminado
Não há qualquer armamento
Contra este teu inimigo
Ele que é um sentimento
Que sempre é revigorado
Não lhe importando o perigo

Perdeste a convicção
Não fazes o mesmo alarido
Não és mais o lobo temido
Findou tua profissão
Nada mais tu matas
Fostes desmoralizado
Vais agora pra’s matas
Lá ficas escondido
Melhor que tivesses morrido

Se tivessem te informado
Não terias corrido perigo
Não terias caido em má sorte
Se conhecesses a esperaça
Não terias tramado-lhe a morte
Não terias tanto sofrido
A morte não irias conhecer
A esperança só pode morrer
Quando todos tiverem morrido











Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua contribuição! Em breve postaremos o seu comentário.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.