quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Tempo de homens partidos

Belo texto do Carlos Drummond de Andrade que está na sua magistral obra "A rosa do povo".

Este é tempo de partido,
tempo de homens partidos.
Em vão percorremos volumes,
viajamos e nos colorimos.
A hora pressentida esmigalha-se em pó na rua.
Os homens pedem carne. Fogo. Sapatos.
As leis não bastam. Os lírios não nascem
da lei. Meu nome é tumulto, e escreve-se
na pedra. (...)


Quer conhecer  o restante do poema? Disponibilizo o link para baixar e ler a obra completa clique: A ROSA DO POVO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua contribuição! Em breve postaremos o seu comentário.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.